Visitantes online

como colocar contador de visitas no site

Calabar e Romeu

terça-feira, junho 14, 2016

Em uma fazenda, haviam muitos animais que viviam em harmonia com uma família de ratos. Esta família de ratos tinha apenas um ratinho, que longe dos pais dava um trabalho e tanto para os outros animais. Vivia perturbando e assustando todos.

Um dia, o dono da fazenda deparou-se com uma caixa abandonada na porteira de sua fazenda. Ele percebeu que a caixa se movia e abriu-a cuidadosamente para ver o que havia dentro. Lá estava um lindo filhotinho de gato que parecia uma bolinha de pelo. Logo ele pegou a caixa com o gatinho e correu para a casa para contar aos seus filhos.


As crianças quando viram o gatinho, ficaram encantadas.

Quando soube da notícia do novo morador, a família de ratos ficou muito preocupada, pois cresceram ouvindo que gatos não gostam de ratos. Pensaram até em se mudar, mas o Papai Rato disse:

- Ele ainda é um bebê. Tudo depende da maneira de como ele for criado e de como o tratarmos. Fiquemos amigos dele.

E assim todos obedeceram ao Papai Rato. Quando o gatinho, que recebeu o nome de Romeu, se atrapalhava dentro dos vasos ou se enroscava nos novelos de lã, os ratinhos iam ajudá-lo.  O único problema era Calabar, o ratinho ovelha negra da família que além de perturbar os outros animais, assustava o pobre Romeu e o colocava em inúmeras encrencas até que o dono da casa o colocou para dormir no celeiro com os demais animais. Calabar se divertiu muito com isso. Romeu ficou muito triste por ser punido por algo que ele não tinha feito. Sentiu falta da sua caminha macia e do seu leitinho quente todas as noites.

Mamãe e Papai Rato conversaram com Calabar para que ele reparasse o erro que tinha cometido. Mas ele não quis saber. Continuou a importunar Romeu e todos os animais.

Quando fazia frio, toda a família Rato, exceto Calabar ia de madrugada levar um cobertorzinho e leite para o pobre Romeu que se tornou amigo de todos os animais.

Todas as noites havia uma reunião entre todos os animais no celeiro. Mamãe Rata e Dona Vaca contavam muitas histórias e todos ouviam atentamente.

O tempo foi passando e Romeu cresceu. Mamãe e Papai Rato já estavam idosos e cansados. Não aguentavam mais trabalhar e também não aguentavam mais as provocações de Calabar para com todos na fazenda. Então, decidiram se mudar para a fazenda vizinha. Tinham muitos amigos lá. Calabar foi o único que se recusou a ir junto com sua família. Seus pais pediram para que ele fosse junto, pois os animais da fazenda estavam cansados dele. Mas Calabar foi firme em sua decisão. Disse que não iria se mudar, pois ali tinha nascido e ali iria morrer.

Romeu assistiu muito triste a despedida da Família Rato. Ia sentir falta do leite quente e do cobertorzinho à noite. Começou a chorar.

Então Calabar disse:
- Como você é otário Romeu. Só aqui que um gato é amigo de ratos.
- Eles nunca me fizeram mal algum Calabar. Não tenho porque odiá-los. – disse Romeu.

E assim a família partiu. Mas a família visitava Romeu e os demais animais regularmente, na esperança de convencer Calabar a ir morar junto com eles. Pois o mesmo continuava a importunar os animais da fazenda.

Até que as coisas entre Calabar e Romeu mudaram. Romeu cresceu e não era mais aquele gatinho bobinho. Não permitia mais que Calabar o provocasse.

Um dia provocando Romeu, Calabar disse:

- Você é um gato tão bobo que gosta de ratos. Você é o único gato do mundo que fica amigo de ratos.
- Eu não preciso ser igual aos outros gatos. E eu gosto de alguns ratos.  – Romeu disse.

Cheio dessas provocações, desse dia em diante Romeu decidiu caçar Calabar incansavelmente. Planejou capturar Calabar a qualquer custo. E para isso, tampou cada buraco em que Calabar pudesse se esconder

Um belo dia, depois de fugir de Romeu e não encontrar nenhum lugar para se esconder, Calabar se viu encurralado por Romeu e correu para o celeiro, lugar que só aparecia para importunar e infernizar os animais.

Calabar chegou desesperado, gritando e pedindo ajuda:

- Alguém me ajuda por favor? Eu vou morrer. Romeu está atrás de mim e não tenho onde me esconder.
- Deve ser mais umas das brincadeiras idiotas dele. – disse o Sr. Pato.
- Não Sr. Pato. Eu não tenho onde me esconder. Me ajude. –  pediu Calabar.
- Como vou esconder você? Da última vez você ateou fogo no nosso monte reserva de palha.  Por sua causa eu durmo no chão. – lembrou o Sr. Pato.

Então Calabar foi pedir para o cavalo:

- Senhor Cavalo, por favor me ajude. Pode me esconder?
- Como vou esconder você? Eu durmo aqui em pé. – respondeu o Sr. Cavalo.
- Eu posso me esconder debaixo da sua ferradura como fiz da última vez. Lembra? – insistiu Ratazana
- Não dá certo. Da última vez que fiz isso, você me fez cócegas, eu caí e torci a perna. Lembra?

Desesperado, Calabar pediu socorro para todos os animais do celeiro, mas ninguém  mais acreditava nele.

De repente Romeu entrou no celeiro e os animais se assustaram. Perceberam então que Calabar estava falando a verdade. Mas não havia muito o que fazer.

Até que Dona Vaca disse a Calabar:

- Fique atrás de mim que eu lhe escondo.

E assim ele correu para trás da Dona Vaca e ali ficou.

Então Dona Vaca fez um enorme cocô em cima de Calabar escondendo-o.

Calabar ficou muito bravo e disse:

- A senhora disse que ia me esconder e não “cagar” em mim.

Eis que Romeu vasculhou o celeiro todinho e não encontrara Calabar. Até que chegou perto da Dona Vaca, viu um monte de cocô do qual saía um rabinho de rato.

Rapidamente Romeu mostrou suas garras e num ato extremamente ágil, tirou Calabar da merda fedorenta.

- Aqui está você hein Calabar? – provocou Romeu. Enquanto se dirigia a uma torneira.
- Ainda bem que você me tirou de lá. Muito obrigado.
- Agora você vai tomar um bom banho para que possamos conversar.
- Sabia que você não ia me decepcionar amigo.

Então Romeu lavou bem Calabar e depois que o mesmo estava limpinho, o devorou.

Moral da história?

“Nem toda pessoa que te põe na merda é seu inimigo. Assim como nem toda pessoa que te tira da merda é seu amigo. Olhe sempre o seu rabo e observe suas ações.”

Postagens Relacionadas

0 comentários

Muito obrigada, de coração, por sua visita. Adoraria se deixasse um comentário.